É assim que as baleias ajudam a combater as mudanças climáticas

Quando se trata de salvar o planeta, uma baleia azul, cinza ou jubarte fornece serviços ambientais comparáveis ​​aos de uma floresta com milhares de árvores, conforme publicado por um grupo de acadêmicos e economistas do Fundo Monetário Internacional (FMI), onde eles destacam o papel desses gigantes do mar na luta contra as mudanças climáticas.

O artigo publicado na revista “Finance and Development” da organização internacional, destaca que o potencial de captura de carbono pelas baleias é realmente surpreendente.

As baleias acumulam dióxido de carbono (CO2) em seus corpos durante sua longa vida útil, que pode chegar aos 200 anos e, quando morrem e afundam no fundo do oceano, capturam 33 toneladas de CO2 cada, removendo esse gás de efeito estufa da atmosfera durante séculos.

Por outro lado, uma árvore absorve no máximo 22 kg de CO2 por ano, destaca o relatório da equipe liderada pelo vice-diretor do FMI, Ralph Chami.

Segundo estimativas, o valor de uma grande baleia média é de dois milhões de dólares, considerando sua contribuição para a luta contra as mudanças climáticas, não apenas pela captura do carbono, mas também por sua contribuição para a vida saudável dos mares.

A pesquisa que contou com a colaboração da Great Whale Conservancy, uma organização dedicada à conservação de baleias, estima que existam cerca de 1,3 milhão de espécimes nos oceanos, um quarto dos que existiam antes do auge da caça às baleias.

As populações de algumas espécies em particular, como a baleia azul, foram reduzidas para 3%. Os autores do relatório propõem a criação de mecanismos financeiros para promover sua reprodução, como subsídios ou compensações, a fim de ajudar aqueles que têm custos significativos para a proteção de baleias, como companhias de navegação que mudaram de rota para reduzir o risco de colisões.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *