Colchões velhos são usados para substituir o solo e cultivar vegetais em ambientes desérticos

Colchões velhos estão sendo usados ​​para substituir o solo, a fim de cultivar ervas e vegetais para refugiados em ambientes desérticos.

 

Uma equipe de especialistas em hidroponia da Universidade de Sheffield, na Inglaterra, vem trabalhando com refugiados na Jordânia para criar ‘jardins desérticos’ usando espuma de colchões.

No campo de refugiados de Zaatari, a equipe de pesquisa, liderada pelo professor Tony Ryan, trabalhou com os moradores para cultivar pimentas, tomates, beringelas e hortelã.

A espuma do colchão é usada para manter as raízes de uma planta em que ela cresce junto com uma solução de água rica em nutrientes. As sementes são colocadas na espuma e crescem através dela.

O professor Ryan diz que a técnica pode ser usada para criar jardins autossustentáveis ​​em todo o mundo e ajudar milhões a cultivar em paisagens áridas.

Eles criaram algo tipo um ‘jardim do deserto’ no campo da Jordânia, mas querem tornar o projeto mais sustentável e lançá-lo em todo o mundo.

Eles esperam arrecadar o dinheiro suficiente para fornecer sementes, nutrientes e treinamento para outros 3.000 refugiados. Quase 1.000 foram ensinados até agora.

Daria às famílias deslocadas pela guerra a oportunidade de ter um suprimento ilimitado de produtos frescos – em alguns dos lugares mais difíceis do planeta.

O professor Ryan e o professor Cameron treinando refugiados em como usar sua técnica para cultivar suas próprias plantas

Abu Wessam, que mora no campo, afirma que ‘”Esse tipo de agricultura nos ensinou muito. É livre de pesticidas e reguladores de crescimento e usa 70-80 por cento menos água. Seria bom se todas as pessoas no campo aprendessem isso, porque o solo não é adequado para o cultivo”

O método usa 70 a 80% menos água do que o plantio direto no solo – e elimina a necessidade de pesticidas.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *