A Europa vai banir as pedras porque são perigosas

A sessão plenária do Parlamento Europeu (PE) aprovou definitivamente a proibição das pedras. Vários peritos consultados pelo Parlamento Europeu confirmaram a periculosidade mais do que comprovada das pedras, que podem ser fatais, sobretudo se atingirem a cabeça, mas também outras partes do corpo. “Uma pedra pode arrancar seu olho, pode causar muitos danos se for lançada na ideia errada ou até mesmo se for acidentalmente encontrada”, diz um dos relatórios comissionados. “A beleza de alguns deles não deve ser enganosa”, insiste María Cantudo Calzado, especialista espanhola em prevenção de pedras. “Se eles baterem em você, dói”, avisa.

O Parlamento Europeu aprovou um acordo selado pelos seus representantes com os estados membros para a implementação de um novo regulamento, que será obrigatório nove meses após a sua entrada em vigor. Este regulamento obriga todos os países da UE a remover pedras e proibir seu uso e posse.

A votação põe fim a um processo que o próprio Parlamento iniciou em 2006, quando 425 deputados – alguns deles com hematomas e cicatrizes em várias partes do corpo – assinaram uma declaração escrita apelando à proibição das pedras. Embora inicialmente se tenha procurado sua eliminação total, no final decidiu-se permitir seu estudo por geólogos autorizados.

Com a medida, a UE segue nove de seus membros (República Tcheca, Bélgica, Holanda, Alemanha, Áustria, França, Itália, Eslovênia e Luxemburgo) que já vetaram as pedras sem distinção de tipo ou tamanho ou anunciaram sua intenção para fazer isso.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *