A batalha mais alcoólica da história

A batalha de Karansebes poderia ser intitulada como uma das guerras mais absurdas da história, mas nenhuma guerra admite tal conotação, desde o momento em que há perdas humanas e nesta batalha, ocorreram cerca de dez mil mortes. Alguns barris de conhaque e a estupidez de um grupo de soldados resultaram num ato horrível.

Corria o ano de 1778, uma época de múltiplos conflitos e aspirações políticas, anos de batalhas sangrentas para anexar mais regiões, cidades e países. Naquela época o Império Otomano travava uma guerra feroz contra o Império Russo, que, por sua vez, tinha como aliado o capaz exército austríaco do Sacro Império Romano que era composto por cem mil homens de várias nacionalidades. O que envolvia um pequeno problema, cada um falava uma língua e na maioria das vezes não se entendiam.

Foi em 17 de setembro de 1788 quando um grupo de cavalaria austríaca chegou à cidade de Karansebes (atualmente na Romênia, mas naqueles anos sob jurisdição otomana). Eles sabiam que tinham uma tarefa difícil pela frente e que em poucos dias teriam que travar uma batalha feroz contra o inimigo turco. E que maneira melhor do que animar aquela noite do que bebendo um pouco de álcool?

Eles precisavam liberar a tensão e não era ruim, mesmo por algumas horas, descansar com algo “forte”. Quis o destino que eles se encontrassem, na entrada da cidade, com um grupo de mercadores ciganos. Eles venderam alguns barris de conhaque a um preço muito bom e não hesitaram um segundo. O grupo começou a beber até o resto do contingente de soldados chegar. A bebedeira estava mais do que garantida essa noite.

Não demorou muito para ver os efeitos daqueles barris de conhaque. Os soldados da cavalaria austríaca juntaram-se à infantaria e logo o pavio explodiu. O problema surgiu quando os hussardos se recusaram a dividir o álcool com outros soldados do contingente que chegavam atraídos pela folia.

Iniciaram uma discussão entre eles e logo os golpes, empurrões e insultos começaram. Alguém queria acabar com aquela bobagem com um tiro para cima e, então, tudo deu errado. Parte do regimento que chegava a Karansebes, ao ouvir o tiro, pensou que os turcos já estavam atacando e não hesitou em correr de arma na mão.

A isso se somava o fato de que não se entendiam, cada um falava uma língua. Então, quando uma das partes começou a gritar em alemão, “halt!, halt!” (Pare, pare!), outros, entre a embriaguez e a nebulosa do medo e do álcool, entenderam “Alá!”, O grito de guerra do inimigo turco e do Império Otomano.

Tudo saiu do controle da maneira mais absurda e terrível possível. Uma das derrotas mais tristes e ridículas do Sacro Imperador Romano José II, quando os turcos encontraram 10.000 austríacos mortos no dia seguinte. Uma batalha ganha sem que eles tivessem que mexer um dedo.

Este é, sem dúvida, o tipo de acontecimento incompreensível que nos faria sorrir, se não fossem as graves consequências.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *